domingo, 10 de setembro de 2017

Lamentável



URGENTE: Joesley e Ricardo Saud se entregam à PF em SP
Prisão foi decretada pelo ministro Edson Fachin, do STF, que também suspendeu acordo de benefícios
Por Da redação




 O empresário Joesley Batista, em São Paulo - 09/08/2017 (Leonardo Benassatto/Reuters)



O empresário Joesley Batista e o executivo Ricardo Saud, do grupo J&F, se entregaram à Polícia Federal em São Paulo na tarde deste domingo (10). A informação foi confirmada pela assessoria da empresa. A prisão temporária foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O pedido de prisão foi feito depois de Janot concluir que os colaboradores esconderam do Ministério Público fatos criminosos que deveriam ter sido contados nos depoimentos. A conclusão de que os delatores omitiram informações passou a ser investigada pela PGR a partir de gravações entregues pelos próprios delatores como complemento do acordo.

A PGR também pediu a prisão do ex-procurador da República Marcelo Miller, mas Fachin disse que não há elemento indiciário com a consistência necessária à decretação da prisão temporária.

Fachin havia determinado que o cumprimento dos mandados ocorressem com a “máxima discrição e com a menor ostensividade”, evitando o uso de algemas, pois não se trata de pessoas perigosas. “Deverá a autoridade policial responsável pelo cumprimento das medidas tomar as cautelas apropriadas, especialmente para preservar a imagem dos presos, evitando qualquer exposição pública”, diz a decisão.

No sábado, a defesa do grupo JBS colocou à disposição os passaportes do empresário Joesley Batista e do ex-diretor de Relações Institucionais da holding Ricardo Saud. A defesa do ex-procurador Marcelo Miller também colocou os documentos dele à disposição.

De acordo com decisão do ministro os delatores terão de cumprir inicialmente prisão temporária, com prazo de cinco dias. Depois, o encarceramento pode ser estendido por igual período ou convertida em prisão preventiva, sem prazo para acabar.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Entregando o que não é dele



Petroleiros denunciam Pedro Parente à CVM por omissão na venda de ativos
  • 26/05/2017 17h28
  • Rio de Janeiro















Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil
A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) denunciou o presidente da Petrobras, Pedro Parente, e o diretor de Relações com Investidores da estatal, Sérgio Monteiro, à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) por omissão de fatos relevantes ao mercado ligados à venda de ativos da estatal. A FNP pede abertura de processo administrativo na CVM para apurar as supostas ilegalidades no programa de desinvestimento da petroleira.

Segundo o diretor da FNP e do Sindicato dos Petroleiros do Litoral Paulista (Sindipetro-LP), Adaedson Costa, a venda de ativos da Petrobras vem sendo feita “sem o devido processo legal, que é o processo de licitação”.

Na denúncia, a federação também acusa a Petrobras de vender os ativos por preços menores que o valor real dos projetos.

Além do processo administrativo, os petroleiros querem que a CVM suspenda Parente da presidência da estatal até a apuração das supostas irregularidades.

O integrante coordenação da FNP e do Sindipetro-RJ, Emanuel Cancella, disse que entre os ativos da companhia vendidos em processos com irregularidades estão o Campo de Carcará, no pré-sal; a Petroquímica de Suape e a malha de dutos do Sudeste.

Convocação
A FNP e os sindicatos de petroleiros também querem que Parente seja convocado por comissões da Câmara e do Senado para explicar as operações de venda de ativos da Petrobras. “A partir do momento em que se está vendendo patrimônio público e não se está dando transparência para isso, a gente quer saber o por quê dessa obscuridade”, disse Costa. Ao todo, segundo o diretor, a FNP tem 12 ações administrativas e jurídicas abertas contra a Petrobras, além de denúncias à ouvidoria da empresa.

Análise
A CVM informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que recebeu e vai analisar a denúncia, como faz com todas as reclamações que chegam à autarquia.
Procurada pela Agência Brasil, a Petrobras ainda não se manifestou sobre a denúncia da FNP.
Edição: Luana Lourenço


terça-feira, 9 de maio de 2017

Isso é investimento!!!



Mercado: Real Madrid gasta mais de R$ 200 milhões para ficar com Vinicius Jr.
Início/Destaque, Mercado/#mercado: Real Madrid gasta mais de R$ 200 milhões para ficar com Vinicius Jr.




Vinicius Jr. em ação contra o Fluminense (Foto: Gilvan de Souza/flamengo.com.br)

O Real Madrid perdeu Neymar para o Barcelona mesmo tendo colocado uma fortuna sobre a mesa para tentar seduzir o craque e seu pai, mas deu o troco com Vinicius Jr., a joia de 16 anos do Flamengo. Com uma postura muito agressiva nos últimos dias e, claro, com muito dinheiro, virou o jogo e laçou o atacante. A manobra deixou a cúpula do Barça – que já admitiu a derrota – furiosa com o rival, com a Traffic e com o pai do garoto.

Para ficar com Vinicius Jr. (que nesta segunda-feira já foi submetido a exames médicos no Rio sob a supervisão do Real Madrid), o gigante espanhol desembolsará nada menos do que 61 milhões de euros (R$ 201,3 milhões), quase o dobro dos 32,75 milhões de euros (R$ 108 milhões) que o Manchester City pagou há menos de um ano por Gabriel Jesus – que à época era titular do time principal do Palmeiras, artilheiro do Campeonato Brasileiro e uma das estrelas da Seleção Olímpica.

A divisão da bolada ficou assim: 45 milhões de euros (R$ 148,5 milhões) pelos direitos econômicos, sendo 80% para o Flamengo (R$ 118,8 milhões) para o clube e 20% para a Traffic (R$ 29,7 milhões). Isso já seria uma barbaridade, porque a multa de rescisão contratual do jogador está fixada em 30 milhões de euros (R$ 99 milhões), mas não é tudo. Para dobrar a Traffic e a família do garoto, que estavam do lado do Barcelona, o Real Madrid pagará gordas comissões: 8 milhões de euros (R$ 26,4 milhões) para a empresa de marketing esportivo e mais 8 milhões de euros para a família como signing bonus (prêmio pela assinatura do contrato).

Como o garoto só poderá ser utilizado pelo Real Madrid quando completar 18 anos (em julho de 2018), ficará no Brasil até lá. Embora ele ainda não tenha 17 anos, já é um destaque no time sub-20 do Flamengo – domingo fez dois gols e deu duas assistências na vitória por 4 a 0 sobre o Fluminense. E ninguém no clube tem dúvida de que será aproveitado na equipe de cima durante o Brasileirão.

O assédio sobre Vinicius Jr. aumentou depois que ele brilhou no Sul-Americano Sub 17 disputado em fevereiro no Chile. Foi o artilheiro e o melhor jogador da competição vencida pelo Brasil, e chamou a atenção de muitos clubes europeus. Mas o Barcelona se mostrava tranquilo, e dava como certo que ficaria com o garoto.

Eram dois os motivos do otimismo: André Cury, o representante do clube no Brasil, seguia de perto o garoto há mais de dois e tinha se aproximado muito da família; o bom relacionamento do Barça, também via Cury, com a Traffic (que cuida da carreira dele).

Vinicius Jr. ainda não fez 17 anos e já é destaque no time sub-20 (Foto: Gilvan de Souza/flamengo.com.br)

O Barcelona, com ajuda da Nike, fez de tudo para ligar a imagem de Vinicius Jr. ao clube. Ele deu entrevistas dizendo que no videogame sempre escolhia o Barça para ser o seu time, foi para a Espanha e apareceu em fotos na casa de Neymar, visitou o craque na concentração da Seleção Brasileira em São Paulo e vivia trocando mensagens com ele. Tudo indicava que a escolha do garoto já estava feita e o clube catalão havia derrotado o Real Madrid de novo. Mas tudo mudou de dez dias para cá.

O clube merengue partiu com apetite para o ataque e deixou as três partes (Flamengo, Traffic e família do jogador) de boca aberta com os valores oferecidos. E o destino de Vinicius Jr. passou a ser a capital espanhola.

A diretoria do Barcelona se sentiu desrespeitada pelo rival, e considerou-se traída pela Traffic e pela família do garoto. Seus dirigentes dizem nos bastidores que, decidido a jogar no clube, Neymar fechou os olhos para uma oferta mirabolante feita pelo Real Madrid em 2013, e que se Vinicius Jr. e sua família não tiveram a mesma atitude é porque não estavam tão comprometidos com o clube.

O choro do Barça não comove o rival, que comemora a vitória na disputa para contratar aquele que a imprensa de Madri já batizou como “o novo Neymar”.

VEJA VINICIUS JR. ACABANDO COM O FLUMINENSE NO SUB-20



Por Luis Augusto Monaco|maio 8th, 2017|Destaque, Mercado|